Daniel na dianteira: mais quatro processos contra opositores

Se houvesse um ranking dos políticos que mas acionam o judiciário, Daniel Cândido (PSD) lideraria com folga. Desgastado politicamente, o gestor do município tem apelado ao judiciário para “fechar a boca” de quem critica seus procedimentos. Com isso, departamento jurídico da prefeitura se destaca pelo volume de serviços prestados. DanielCândido tem deixado claro, publicamente, sua aversão as divergências. Mesmo assim, tem permitido que sua base se dissolva, e vai ficando sem condições de governabilidade. Só nas últimas semanas o prefeito batistense ingressou com quatro processos contra oposição. Os alvos foram Saul Raitz (PP), Carlos Francisco da Silva (PP), Luiz Fernando Perão (PSD). Contra Perão, são duas queixas-crimes. Ação contra Saul Raitz, já foi extinta. Ministério Público e Judiciário não aceitaram a reclamação de Daniel. Prefeito queria que justiça punisse Raitz por tê-lo convocado para depor na CPI da Saúde. Acusava o parlamentar por crime de abuso de autoridade. Na ação contra o presidente Carlos Francisco da Silva, Prefeito quer impedir o uso de termos como “mentiroso” ou “engomadinho”. As queixas-crimes contra Fernando Perão vão na mesma linha. Daniel não quer ficar rotulado pelas frases de efeito ditas pelo vereador nos discursos na Tribuna da Câmara de Vereadores. Nestes casos, falta ainda a manifestação do Ministério Público. Tentativa de Cândido é ganhar exclusividade para agredir. Em recente entrevista chamou os vereadores de “filhos do diabo”. Com governo em ruínas, articulação política de Daniel tenta tirar o foco da Administração e mirar nos desafetos do Legislativo. Estratégia já foi usada em outros momentos do Governo Municipal.