Amores perfeitos são pra fotos. O amor dói

Não existe amor perfeito. Os amores são sofridos, minha gente. Doem um pouquinho a cada dia. Do começo ao final, e mesmo que durem 50 anos. Amor e dor são compatíveis como a óbvia mistura entre leite e chocolate. Não tem a festa da paixão e como construção diária, tem seus contratempos e arroubos.

“Amar é sofrer. Para evitar sofrer, não se pode amar. Mas, então, sofre-se por não se amar”. Woody Allen

Amor só explode como mágica na literatura e ficção. O amor real é feito de pedaços. Nos cacos da tolerância, da afetividade, da convivência e entendimento. Um amor que dura se firma nos anos. Ama, apesar de comer com a boca aberta. Ama além da irritação matinal. Ama acima das diferenças e do individuo amado. Nenhum amor é perfeito. Ele dói.

Pérolas são produtos da dor. Quando um grão de areia penetra nela, as células começam a trabalhar e cobrem o grão de areia com camadas e mais camadas para proteger o corpo indefeso da ostra. É assim que se cria o amor, que dura. Seu Artur e dona Jordelina estiveram casados quase 50 anos. Seu Adão e Dona Minda estão a quase 40. Tiveram que construir o entendimento entre seres, e no bloco a bloco transformar cada percalço em sentimento. Sem as dores que fortalecem, teriam sido submetidos àqueles amores temporões, que duram enquanto o riso estampa a cara. Aprendizado.

Muitos amores não duram, se tornam ostras vazias, não porque não tenham sido feridas, mas porque não souberam perdoar, compreender e transformar a dor em amor. Os amores discretos, que duram 70 anos, não estão envoltos em aura das facilidades vendidas nos livros de autoajuda. A falta de dinheiro, a criação dos filhos, o ciúme e as personalidades que se contrapõe.

“Porque a vida só se dá pra quem se deu, pra quem amou, pra quem chorou, pra quem sofreu. Ah, quem nunca curtiu uma paixão nunca vai ter nada, Ai de quem não rasga o coração, esse não vai ter perdão. Quem nunca curtiu uma paixão, nunca vai ter nada, não…” –  Vinicius de Moraes

Experimentem apostar numa relação que dure a vida toda. Comecem por tentar ter calma. Não desistam as primeiras contrariedades. O casamento não é um mar de rosas ao contrário do que muitos são levados a crer durante o namoro.

Relacionamento é uma viagem muito longa e cheia de complicações com vales profundos e cumes íngremes. Nenhum amor é perfeito. Ele dói. Não existem pessoas perfeitas, logo não existem amores perfeitos. Há pessoas que se encaixam como a tampa da panela, e isso não quer dizer que elas têm que ser exatamente da forma que achamos que devem.

No caminho para atingir o amor pleno entenda: o amor dói, é construção diária e demanda paciência, compaixão e entendimento. O amor de verdade não é aquele retratado em fotos melosas nas redes sociais. Ele é sorrisos ou dor entre quatro paredes. Não existe amor perfeito. Os amores são sofridos, minha gente.