Saída de Daniel do PSD, pode esvaziar MDB

Daniel assina ficha de filiação com o PSL do vereador Juliano Peixer, mas os impactos serão mais profundos. No MDB deve acontecer um ‘arrasa quarteirão’, com a possibilidade de o vereador Leôncio Cipryani e Éder Vargas migrarem para o PSD, levando junto aliados descontentes com os últimos acontecimentos emedebistas.

Leôncio havia prometido deixar o MDB até abril, e Éder afirmou em discurso na tribuna Câmara que também tinha essa disposição. Os dois fazem contraponto ao vice-prefeito Pedro Alfredo Ramos, o Pedroca, e não topam sua candidatura para o cargo de prefeito. Se prosperar os movimentos de bastidores, as forças políticas vão negociar alianças em outro nível.

Com Daniel Cândido no PSL, muda a sigla de atração, mas a palavra final segue sendo do prefeito. Com uma mudança: na possível ida de Leôncio e Éder para o PSD, ficaria menos refém do MDB e poderia montar uma chapa alheia a vontade do até então partido aliado. A executiva Estadual do PSL não quer nem saber de abrir mão da cabeça de chapa. Trabalha com a possibilidade de Juliano e Rúbia.

No campo cola-preta o papel de desfiliação de Pedroca ainda não foi homologada, e, portanto, há dúvidas sobre o desembarque. Outra situação que estimula a saída dos dois vereadores é o falatório de que a Executiva Estadual intervém na sigla, caso Pedroca perca a indicação como candidato na eleição interna. Reunião de sábado deve sacramentar a pré-candidatura de Pedro, com ou sem aval dos vereadores e asseclas.

Aliados de Pedroca dizem que independente das costuras periféricas, ele é candidato e vai buscar união com siglas e lideranças. Tem dialogado com empresários e políticos de vários partidos. Não recuaria nem sob a condição de enfrentar seus aliados governistas, estabelecendo nova área de força.

O fator Daniel se tornou a jogada nova da eleição, e poderá ter fôlego suficiente para contornar problemas iniciados no ano passado com as brigas internas do MDB. Cândido não perde o comando de campo, teria guarda-chuvas para abrigar aliados fiéis filiados ao MDB, e fica ainda com a palavra final sobre a montagem da chapa de sucessão.

PSD se reúne na sexta e MDB no sábado. Deve sair dessas reuniões linhas mais claras do futuro dos dois partidos.