Idosos viram alvo de ataques ‘políticos’ em São João Batista

Os argumentos usados pelos vereadores da base governista para rejeitar todos os pedidos de informações sobre gastos da prefeitura desde 2017, não valeram para os idosos.  Mudaram o discurso temporariamente. Na noite desta segunda-feira (25), aumentaram a artilharia contra o grupo de idosos do centro, e aprovaram um pedido de informações, mesmo sabendo que o grupo não usa dinheiro público. Ainda assim o requerimento estaria correto, não fossem as motivações.

Dois pesos e duas medidas têm motivações. Prefeitura, e agora, Câmara, estão se envolvendo em uma disputa interna pela presidência do Grupo João Paulo II. Foi a motivação para o Decreto que retirou idosos do Centro de Convivência para reforma, e é o principal responsável do requerimento assinado pelo presidente da Câmara, Éder Vargas (MDB).

É mais um capítulo em um jogo puramente partidário. Sem disfarces. Os políticos batistenses teimam em ficar na contramão, e seguir na politicagem característica da velha política. No requerimento apresentado na sessão desta segunda, o próprio vereador evoca a máxima negada pelos parlamentares em outros pedidos de informações sobre gastos públicos. “Considerando o interesse público e o Poder Fiscalizatório da Câmara de Vereadores; e a que a prestação de contas não está disponível por outros meios, é que se apresenta este Requerimento”.

No início do mês os idosos foram proibidos de entrar no Centro de Convivência do Idoso Corina Brasil dos Santos, após Decreto da Prefeitura. O município alega que tomou a medida para realizar reforma no prédio, e diz que o espaço voltará para utilização da Associação Comunitária João Paulo II após as obras. Apesar desses argumentos, nos bastidores já ficou evidenciado que a disputa pela presidência do grupo foi o desencadeador do processo.

Atacar idosos em razão de brigas partidárias, é jogar lama em pessoas que ajudaram a construir a cidade e nossa história. Inaceitável que representantes da comunidade, usem essas artimanhas, tacanhas. Parece desnecessário falar que temos que respeitar todos esses idosos, porém, infelizmente parece que muitas pessoas esquecem este pressuposto básico. Vamos mal, muito mal.