Dinheiro Público: Valmor resgata obra abandonada

Dinheiro do contribuinte foi investido e as obras ficaram paradas no tempo. São monumentos a má gestão, falta de planejamento e descaso de gestores públicos. Major Gercino ficou marcada nos últimos anos pela ingerência com o dinheiro do contribuinte. Já foi a prefeitura que mais empregava, a que registrou o maior volume de desvio de verbas públicas no Estado, proporcionalmente, e por ter duas construções icônicas abandonadas e se deteriorando com o tempo. Essa imagem vai ficar no passado, ao que depender do prefeito Valmor Kammers, o Valmor do Pita.

Nas próximas semanas será entregue para a comunidade a Casa do Idoso, construída a mais de cinco anos e nunca usada. Perdida em meio ao mato e se deteriorando a estrutura foi resgatada pela Administração Municipal, ganhou reforma e vai receber móveis e eletrodomésticos. O prédio foi erguido pelo ex-prefeito Zelásio Dellagnolo. Logo depois um novo prefeito assumiu e a estrutura ficou fechada nos quatro anos seguintes. Após eleito Valmor Kammers determinou que providências fossem tomadas já que só na construção original foram investidos cerca de R$ 230 mil. A reforma foi licitada em R$ 49 mil.

Com 3.279 habitantes, Major Gercino figura entre os menores municípios de Santa Catarina e sofre com a baixa arrecadação. Geralmente obras são executadas com recursos destinados através de emendas de deputados, ou canalizadas pelo Governo do Estado. Motivo suficiente para causar indignação ao verificar espaços públicos não utilizados. Mas, se em Major a Casa do Idoso estava fechada há cinco anos, uma outra obra já completou décadas de abandono e agora poderá também receber um destino.

Ao chegar a Major é possível ver, em um morro, estrutura de tijolos quase totalmente coberta pela vegetação. Naquele local funcionaria um hospital e consumiu milhares de recursos públicos. Já não é mais possível utilizar o espaço, que foi comprometido pela ação do tempo. Mas, para o terreno a Prefeitura de Major Gercino já está estudando um destino. Na visão do prefeito Valmor Kammers no local poderá ser erguido um centro esportivo. Ou uma nova unidade de saúde.

Boa gestão não se faz apenas construindo novos prédios ou pavimentação. É necessário otimizar o patrimônio que já pertence a população. A Casa do Idoso reformada ou o espaço que seria ocupado pelo hospital são exemplos que é possível, com vontade e planejamento, melhorar a qualidade de vida da população e não desperdiçar recursos tão escassos. Até aqui a opção de Kammers, prefeito da menor cidade do Vale, serve de lição aos demais: cuidar e resgatar do que o município já gastou dinheiro e foi abandonado ou está deteriorado, e executar novas obras. É uma dinâmica de respeito com o cidadão.