Calinho e Alécio com os dias contados

Basta a justiça notificar a Câmara para que os vereadores Carlos Francisco da Silva, o Calinho, e Alécio Boratti, sejam afastados de suas funções. Ambos foram cassados em julgamento do Caso Ressonância, que apontou violação na fila de espera do Sistema Único de Saúde (SUS).

As duas vagas devem ficar com Nataniel de Oliveira Valença, o Chulipa, e Tarcísio Soares, o Tarcísio do Ônibus.

Embargos foram julgado e rejeitados nesta quinta-feira (11). A decisão nos embargos de declaração ainda não foi publicada. Assim que a decisão for publicada o Tribunal já pode expedir ofício à Câmara, comunicando a decisão.

Ainda haverá recursos. Um pedido liminar será feito com o recurso, que somente pode ser apresentado a partir de agora. Provavelmente a defesa vai apresentar terça-feira (16).

Por unanimidade, o TRE/SC – Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina – negou recurso dos vereadores de São João Batista, Carlos Francisco da Silva, o Carlinhos (PP) e Alécio Borati (PP) e manteve a cassação do diploma de ambos, além dos suplentes Mário José Soares (PP) e Sebastião Formento Filho, o Bastiãozinho (PP).

Eles são envolvidos no Caso Ressonância, que apura crimes de falsidade ideológica, corrupção ativa e passiva, inserção de dados falsos nos sistemas da área da saúde, ao qual violavam a fila de espera do Sus, para obterem exames de ressonância magnética e tomografia.