São João Batista tem a 13ª melhor gestão fiscal de Santa Catarina

Maioria das prefeituras não está conseguindo manter as contas em dia, e quem paga por isso são os contribuintes. Nem todos os municípios estavam vacinados contra a crise, e de acordo com o Índice FIRJAN de Gestão Fiscal (IFGF) em 80% das prefeituras do país a situação é crítica ou em dificuldades. Não é o caso de São João Batista que em 2016 aparece com a 13ª melhor gestão fiscal de Santa Catarina e a 101ª entre mais de 4.500 cidades do país. Na avaliação anterior o município ocupava a 32ª posição no estado e 287ª no país.

 

Composto por cinco indicadores – Receita Própria, Gastos com Pessoal, Investimentos, Liquidez e Custo da Dívida –, o IFGF tem uma metodologia que permite tanto comparação relativa quanto absoluta, isto é, o índice não se restringe a uma fotografia anual, podendo ser comparado ao longo dos anos. Dessa forma, é possível especificar, com precisão, se uma melhoria relativa de posição em um ranking se deve a fatores específicos de um determinado município ou à piora relativa dos demais.

Segundo a metodologia do Índice Firjan, São João Batista tem boa gestão. Nos indicadores de investimento, liquidez e custo da dívida à cidade são considerados “excelentes”. Em apenas dois índices a Prefeitura  da Capital Catarinense do Calçado apresenta dificuldades e é enquadrada. Receitas Próprias e Gastos com Pessoal ainda puxam os indicadores para baixo, mas sem contaminar o resultado geral da avaliação.

Em comunicado sobre os pontos facultativos enviado para imprensa nesta semana, o prefeito Daniel Cândido falou sobre a questão dos gastos públicos. O prefeito destaca que desde 2017 várias ações foram iniciadas para que o Município tenha uma gestão mais eficiente, entre elas, cortes de aluguéis e a reforma administrativa que cortou 47 cargos comissionados. “Queremos fazer mais com o mesmo e, além disso, a arrecadação caiu muito nos últimos anos. Em contrapartida as demandas amentaram devido ao crescimento de São João Batista, estando entre os Municípios que mais crescem no Estado”, acrescentou.